• Doutor Walter Lopes

COMO O MINERAL CROMO, PRESENTE NO LITHOTHAMNIUM DWL BRASIL, ATUA NA PREVENÇÃO DO DIABETES


Em 2017, a Federação Internacional de Diabetes estimou que, pelo menos 8,8% da população mundial possuía diabetes, e dentro deste parâmetro houve uma projeção para 2045 onde haveriam 628 milhões de pessoas com diabetes no mundo.

Trata-se de uma doença silenciosa, que muitas vezes é subestimada mas que, a longo prazo, pode trazer seríssimas consequências ao bem-estar de seu portador. Para saber um pouco mais sobre esse tema, é importante que você, caro leitor, compreenda que existem diferentes tipos de diabetes e que cada um deles demanda um tipo de cuidado ou tratamento.


OS TIPOS DE DIABETES

  • Diabetes tipo 1: é o tipo menos comum e surge desde o nascimento, sendo considerada uma doença autoimune, já que o próprio sistema imunológico ataca as células do pâncreas responsáveis por produzir a insulina. Sendo assim, com a produção de insulina debilitada, a glicose (açúcar) não é transportada para dentro das células, se acumulando no sangue;

  • Diabetes tipo 2: é o tipo mais comum e acontece devido a uma resistência à insulina que surge ao longo da vida, normalmente devido a maus hábitos alimentares. Essa resistência diminui a ação da insulina no corpo e faz com que a glicose se acumule no organismo;

  • Diabetes gestacional: é um tipo de diabetes que acontece apenas durante a gestação e que está relacionado com a produção, pela placenta, de outros hormônios que bloqueiam a ação da insulina;

  • Pré-diabetes: acontece quando o nível de açúcar no sangue está aumentado mas ainda não é o suficiente para fazer o diagnóstico de diabetes.

A RELAÇÃO ENTRE A DIABETES E A DOENÇA DE ALZHEIMER

Alguns estudos sugerem que a resistência à insulina apresentada pelas células cerebrais de pacientes portadores da Diabetes Tipo 2 aumentaria o risco para o desenvolvimento de Alzheimer. A "Diabetes do Cérebro" ou ainda "Diabetes Tipo 3"”, embora esse termo não seja utilizado por sociedades médicas, divide especialistas.

Na visão dos cientistas que defendem a teoria, a resistência à insulina por parte das células do cérebro comprometeria seu bom funcionamento e resultaria em acúmulo de toxinas, estresse neuronal e morte dessas células. Um estudo norte americano de 2017, desenvolvido pela Mayo Clinic, relacionou a danificação dos vasos sanguíneos por conta da diabetes e seu impacto negativo no fornecimento de nutrientes ao cérebro.

Como já dito, a chamada Diabetes Tipo 3 ainda não é uma unanimidade no meio científico, mas vem chamando a atenção dos especialistas e muitos deles já admitem sua existência.


A DIABETES EM NÚMEROS

Como já dito no início deste artigo, a diabetes é uma epidemia no Brasil e no mundo e tende a sofrer um aumento de casos. Daí a importância de se falar sobre o assunto e de todos nós buscarmos recursos para não fazermos parte dessa estatística negativa.


FATORES CAUSADORES DA DIABETES TIPO 2

Como você já viu, existem diferentes tipos da doença. Nesse momento vamos analisar a do Tipo 2, a mais comum.

A diabetes tipo 2 é principalmente causada por maus hábitos alimentares, especialmente o consumo excessivo de alimentos com açúcar ou carboidratos. Além disso, ter um estilo de vida sedentário também pode contribuir para o aparecimento da diabetes.

Pessoas com acúmulo de gordura na região abdominal também parecem ter maior risco de diabetes tipo 2, já que as células de gordura parecem contribuir para a resistência à insulina.

Ter uma alimentação equilibrada e praticar regularmente atividades físicas são importantíssimos para evitar o surgimento da diabetes, bem como inúmeros outros problemas de saúde.

Fique atento aos fatores de risco da Diabetes Tipo 2:

  • Obesidade (inclusive a obesidade infantil);

  • Hereditariedade;

  • Falta de atividade física regular;

  • Hipertensão;

  • Níveis altos de colesterol e triglicérides;

  • Medicamentos, como os à base de cortisona;

  • Idade acima dos 40 anos (para o diabetes tipo 2);

  • Estresse emocional.

SINTOMAS DO DIABETES TIPO 2

A diabetes é uma doença crônica, ou seja, sem cura. Seus sintomas costumam surgir somente quando a doença já está em um estágio mais avançado. Por isso é importante checar seus níveis de glicose de tempos em tempos, sobretudo se houver diabéticos entre parentes de primeiro e segundo graus.

Você já ouviu falar em pé diabético? Essa condição caracteriza-se pela perda de sensibilidade nos pés associado ao aparecimento de ferimentos que demoram mais que o normal a cicatrizar. Apesar de ser uma consequência da diabetes, é também um elemento de identificação da doença. Portanto, fique sempre atento aos seus pés!

Veja na imagem a seguir os principais sintomas dessa doença:


POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES CAUSADAS PELA DIABETES

Quando a diabetes não é tratada adequadamente, os níveis de açúcar no sangue podem ficar elevados por muito tempo e causar danos em vários órgãos. Por esse motivo, as principais complicações da diabetes incluem:

  • Doença cardíaca e infarto;

  • Lesões renais;

  • Lesões oculares;

  • Lesões neurológicas;

  • Problemas nos pés;

  • Doença do foro dentário;

  • Disfunção sexual.

Além disso, os níveis elevados de açúcar também aumentam o risco de infecção, já que o açúcar facilita o crescimento e desenvolvimento de fungos e bactérias, sendo frequente que a pessoa com diabetes apresente infecções urinárias recorrentes, por exemplo. Por favorecer o desenvolvimento de vários microrganismos e por dificultar a circulação sanguínea, a diabetes também causa problemas na cicatrização de feridas.


COMO O MINERAL CROMO, PRESENTE NO LITHOTHAMNIUM DWL, BRASIL PODE TE AJUDAR A PREVENIR E ATÉ MESMO TRATAR A DIABETES

Para entendermos o papel do Crono contra a diabetes, precisamos antes entender o conceito de "Resistência Insulínica", que se caracteriza pela diminuição da efetividade de ação do hormônio insulina, responsável por transportar a glicose do sangue para o interior das células.

Para simplificar, é como se a insulina fosse a chave que abre as portas da célula para que a glicose possa entrar. Quando a insulina não consegue fazer isto, a glicose não entra nas células e se acumula no sangue, podendo ocasionar o surgimento da diabetes.

O mineral Cromo atua em conjunto com a insulina, melhorando a tolerância à glicose. Em outras palavras, o Cromo potencializa o efeito da insulina. Essa propriedade auxilia na prevenção e tratamento da diabetes.



O Lithothamnium DWL Brasil é feito a partir da alga marinha de mesmo nome, e é rico em Cálcio, Magnésio e outros 72 minerais orgânicos.

É a melhor fonte de Cálcio do mundo e possui em sua composição o Cromo orgânico: mineral com potencial para o ajuste dos níveis de glicose em seu organismo, prevenindo e tratando a diabetes.




Fontes:

- 2 IDF Diabetes Atlas (8th Ed.) (2017). International Diabetes Federation: Bruxelas, Bélgica. Acesso à versão online a 5 de maio de 2018 @ http://diabetesatlas.org/IDF_Diabetes_Atlas_8e_interactive_EN/

- DOENÇA DE ALZHEIMER: HIPÓTESES ETIOLÓGICAS E PERSPECTIVAS DE TRATAMENTO. Anna De Falco, Daphne Schneider Cukierman, Rachel A. Hauser-Davis e Nicolás A. Rey* Departamento de Química, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea, 22453-900 Rio de Janeiro – RJ, Brasil

- Gomes MR, Rogero MM, Tirapegui J. Considerações sobre cromo, insulina e exercício físico. Rev Bras Med Esporte. 2005; 11(5):262-266.

- Federação Internacional de Diabetes

- Sociedade Brasileira de Diabetes

- https://drauziovarella.uol.com.br/

Cadastre-se e receba diretamente em seu e-mail cada novo post do Blog CDV! 

 

Obrigado por assinar!